segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Resenha: Belas Maldições - As belas e precisas maldições de Agnes Nutter, bruxa

Oiee, sou a Akela (ou o Sir Paul, do post sobre Pendragon ahusas), e pra minha primeira resenha no blog, escolhi um livro interessante, diferenciado, espero que no final da resenha, (vocês comentem =P), eu tenha conseguido instigar a curiosidade de vocês, a ponto que busquem e leiam o livro (com o mesmo entusiasmo que escrevo). Comentem, critiquem, elogiem, opinem, falem bem ou mal, mas falem algo, bom saber que leram, que não estamos escrevendo ao relento.

Este post tem: minha resenha =), a sinopse do livro, as capas, tanto as em inglês quanto a que veio ao Brasil, a foto dos autores, e a dos autores que está no livro (onde cada um assume seu posto, Neil de Demonio e Terry de Anjo). E algumas imagens que eu achei no nosso amigo Google, dos personagens principais em forma de desenho.

Vamos ao que interessa?

Bom, Belas Maldições - As belas e precisas maldições de Agnes Nutter, bruxa trazido ao Brasil pela Bertrand Brasil que atualmente pertence ao grupo Record) é uma genial obra de Neil Gaiman (autor de " Deuses Americanos" e "Stardust" entre outros) em conjunto com Terry Pratchett (autor de "Discworld" entre outros).

Este livro tem como tema o fim do mundo, esqueçam Ragnarok, esqueçam Gehenna, Gaiman e Pratchett nos levam numa viajem muito mais leve, divertida e excitante rumo ao Apocalipse.

Anjo e Demonio unidos por um ideal, o herdeiro do inferno e suas boas intenções, os quatro cavaleiros do apocalipse, digo, os quatro motoqueiros do apocalipse, (não são bem quatro não, 3 + 1 - afinal a PESTE se aposentou em 1969, quando então a Poluição fora agregada), o humor de Terry e a imaginação de Neil, ingredientes que misturados garantem uma historia surpreendente e inédita.

Mas irremediavelmente tudo principia no Éden, Arizaphale( o anjo guardião do portão leste, portador da espada flamejante), e Crowley ( a serpente, sim sim, aquela que tentou Eva e a fez morder a maçã) são os protagonistas, adoráveis, desta historia que baseada num humor inteligente, com pitadas do cotidiano londrino, algumas referencias externas, e muito, muito mesmo do dois autores, em suas entrelinhas nos convida a refletir.

Anjo e Demonio filosofam sobre os planos de seus superiores, sobre o comportamento humano, e deixam no ar a questão de bem e mal.

E é assim, entre um dialogo e outro que ambos concordam que a Terra é legal, que de repente a humanidade não é assim tão horrenda. Que perto disso o Ceu parece muito entediante e o inferno superlotado.

O filho do rei de baixo nasce, (isso mesmo, o filho esperado é o do Capeta) e com alguns planos dando errado, ele cresce em uma família normal, mas independente disso, quando completar 11 anos atingirá o seu poder máximo e trará a destruição.

O apocalipse está marcado para sábado que vem, antes do jantar, e nesta corrida contra o tempo, Ceu e Inferno se preparam, para o armagedon. Arizaphale (dono de um sebo, que não vende nunca nenhum de seus exemplares, é um anjo nem tão bom assim) e Crowley (com seu inseparável Bentley preto, é um demônio que contra os seus instintos gosta da humanidade) se unem. E tem pouco tempo para encontrar o filho das trevas, e mata-lo.

E caímos mais uma vez nas reflexões, é certo matar um garoto de 11 anos? Ainda que não mata-lo represente o fim de tudo? Qual atitude seria mais correta (e esperada) para um Anjo? E para um Demonio? Onde ficam o bem e o mal nesta historia?

Questionamentos que só se acentuam quando conhecemos o dito cujo, Adam, um adolescente comum, com sua gang do bem chamada “ Eles” e um cão infernal chamado Cão e que de infernal não tem nada. Ao contrario do imaginado (historia surpreendente, e inédita lembra?) Adam, se preocupa com o meio ambiente, com poluição e coisas assim.

Muitas notas de roda pé e o desenrolar desta historia lhe garantem bons momentos de leitura, um livro que expõe seus personagens de forma a unifica-los e mais do que isso, fixa-los na nossa lembrança cada qual de forma impar. Historias paralelas que se unem e fazem todo o sentido (e toda a diferença).

É um daqueles livros que vc lê e nem nota o tempo passar, a leitura envolvente lhe faz querer mais e mais, e quando terminar o livro, vai continuar querendo ler. Sabe aqueles livros que vc lê e relê e no fim de cada releitura vc observa e absorve pontos novos? Este com certeza é um livro assim.

Segue abaixo a Sinopse que está no livro:

"Segundo as 'Belas e precisas profecias de Agnes Nutter', o mundo vai acabar num sábado. No próximo sábado, e ainda por cima antes do jantar. O que é um grande problema para Crowley, o demônio mais acessível do Inferno e ex-serpente, e sua contraparte e velho amigo Aziraphale, anjo genuíno e dono de livraria em Londres. Eles gostam daqui de baixo (ou, no caso de Crowley, daqui de cima). Portanto, eles não têm outra alternativa senão encontrar e matar o Anticristo, a mais poderosa criatura do planeta. O problema é que o Anticristo é um garoto de 11 anos e, ao contrário de tudo o que você já possa ter visto em algum filme, é um garoto que adora seu cachorro, se preocupa com o meio ambiente e é o filho que qualquer pai gostaria de ter. Além, claro, de ser indestrutível."


O livro fora lançado em inglês com duas capas diferentes:




A capa branca traz o Demonio Crowley, e a preta o Anjo Aziraphale. Se está incluso na piada, ou se fora uma estrategia de marketing apenas eu não sei, mas uma coisa é fato, muito bem bolada a ideia.









E esta é a capa do livro em português:

Bem simplória, não? E olhando assim, nem parece um livro divertido, parece mais sério.
Os autores:

Terry a esquerda e Neil a direita.

Os autores - imagem do livro:

Nota-se a brincadeira de apresentar os autores como o anjo e o demônio (personagens principais da obra).

E por fim, as imagens do Anjo e Demônio em desenho:

Espero que tenham gostado, e que leiam o livro (foi dificil descrever o livro, que tem o humor inteligente como marca registrada, sem dar Spoiler).

Até a próxima!!!





9 comentários:

  1. Muito boa resenha, o Gustavo passou meses falando deste livro pra mim, e só tive realmente vontade de ler, quando li sua resenha.
    Eu gostei da capa nacional, embora vc tenha razão, pareça um livro mt serio.
    O livro me parece difícil de achar para comprar, dei uma procurada básica no google, só acho como produto esgotado :/
    O mesmo aconteceu com o Deuses Americanos tbm do gaiman, há alguns anos atrás. Até lançarem outra edição ano passado. Poderiam lançar mais um edição do "belas maldiçoes".
    Bela estreia no blog, parabens \o huhu

    ResponderExcluir
  2. Gostei da resenha. De fato, deixa a gente com vontade de ler! Espero ler mais coisas de autoria sua ;)
    Abçs.

    ResponderExcluir
  3. Helga Wirthmann Takeno16 de janeiro de 2012 09:18

    Por mais que eu não goste glorificar um autor, até hoje não li um livro do Neil Gaiman que eu não tivesse gostado. Agora vou ganhar os classicos Mrs. Punch e Deuses Americanos.
    Adorei a resenha!!!

    ResponderExcluir
  4. Boa resenha^^, achei pra comprar o livro na livraria cultura Samedi, lah tem praticamente tudo!!!Ou lá ou na saraiva megastore do iguatemi.

    ResponderExcluir
  5. Antes de mais nada, EU TENHO ESTE LIVRO SAMEDI!
    Agora apos a guerra de ego, parabéns meu amor, escreveu bem a essência tentando não dar Spoiler, coisa que não é facil, este foi meu primeiro livro do Gaiman, adoro ele, e vc soube trata-lo dignamente =)

    ResponderExcluir
  6. Eu pressupus que vc tivesse o livro, e tivesse emprestado pra Akela, um tanto obvio na verdade \o

    ResponderExcluir
  7. Acabei de ler o livro, mt bom mesmo, brilhante humor inglês, com um final digno de nota huhuh

    ResponderExcluir
  8. Muito bem feito o seu comentario do livro´. Caso o encontre um dia ...

    ResponderExcluir